Aprenda Análise de Bolton!

 Home / Blog / Aprenda Análise de Bolton!

Aprenda Análise de Bolton!

Share Button

Aprenda Análise de Bolton!

 

Análise de Bolton:
Bolton estudou os efeitos interarcos das discrepâncias dos tamanhos dentais, e não se preocupou com as bases ósseas. Afirmou que, para existir um correto engrenamento entre os dentes superiores e inferiores, é necessário que haja uma proporção perfeita entre a somatória do maior diâmetro dos dentes do arco inferior em relação aos dentes do arco superior.
Através dessas relações, pode-se avaliar a sobremordida e a sobressaliência que , eventualmente, surge ao final do tratamento.
Como fazer:

Medir o maior diâmetro mesiodistal dos doze dentes inferiores
Medir o maior diâmetro mesiodistal dos doze dentes superiores
Dividir um pelo outro e multiplicar por 100
Segundo Bolton, a relação média é 91,3; desvio padrão 1,91
1 – Se a relação total exceder a 93,21 (91,3 + 1,91); a discrepância será devido a um excesso de material dental inferior.
A diferença entre a medida dos inferiores real e a desejada (vide tabela) é a quantidade excessiva de material dental inferior.
2 – Se a relação total for menor que 89,39 (91,3 – 1,91); a discrepância será devido a um excesso de material dental superior.
O mesmo procedimento é realizado só para os seis dentes anteriores. A relação centesimal é de 77,2, com desvio padrão de 1,65.
1 – Caso a proporção anterior exceda a 78,85 (77,2 + 1,65) haverá excesso de material dentário inferior.
2 – Se for menor que 75,55 (77,2 – 1,65) haverá excesso de material dental superior.
Quando se encontra um excesso de material dental, tanto na maxila como na mandíbula, de até 4 mm é possível fazer desgastes interproximais.
Quando a discrepância exceder 4 mm na mandíbula, pode-se optar pela extração de um incisivo inferior.
Em casos de quatro extrações de pré-molares, também a análise de Bolton pode ser de grande auxílio para avaliar e selecionar o efeito das várias combinações das extrações.
Então, para um bom diagnóstico e planejamento de um caso clínico é imprescindível que a análise de Bolton faça parte da documentação ortodôntica.
TABELAS DE BOLTON
DISCREPÂNCIA ENTRE OS ARCOS
Max.
Mand.
Max.
Mand.
Max.
Mand.
85
77,6
94
85,8
103
94,0
86
78,5
95
86,7
104
95,0
87
79,4
96
87,6
105
95,9
88
80,3
97
88,6
106
96,8
89
81,3
98
89,5
107
97,8
90
82,1
99
90,4
108
98,6
91
83,1
100
91,3
109
99,5
92
84,0
101
92,2
110
100,4
93
84,9
102
93,1
DISCREPÂNCIA ANTERIOR
Max.
Mand.
Max.
Mand.
Max.
Mand.
40,0
30,9
45,5
35,1
50,5
39,0
40,5
31,3
46,0
35,5
51,0
39,4
41,0
31,7
46,5
35,9
51,5
39,8
41,5
32,0
47,0
36,3
52,0
40,1
42,0
32,4
47,5
36,7
52,5
40,5
42,5
32,8
48,0
37,1
53,0
40,9
43,0
33,2
48,5
37,4
53,5
41,3
43,5
33,6
49,0
37,8
54,0
41,7
44,0
34,0
49,5
38,2
54,5
42,1
44,5
34,4
50,0
38,6
55,0
42,5
45,0
34,7
APRENDA MAIS SOBRE ANÁLISE DE BOLTON. CLIQUE AQUI!
Fonte:
Ortodontia – Diagnóstico e Planejamento Clínico.
Flávio Vellini Ferreira
Artes Médicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>